Suplementos proibidos pela Anvisa

suplementos proibidos pela anvisa

Suplementos proibidos pela Anvisa 

     Entenda melhor sobre a substância 1,3 Dimetilamilamina, uma das grandes inimigas da Anvisa. E saiba quais suplementos permitidos podem  ser uma boa alternativa a esta substância.

Obs.: Esta é uma opinião imparcial sobre os suplementos que apresentam  DMAA (1,3 Dimetilamilamina) apenas com o intuito de informar as pessoas, não incentivamos o consumo ou a comercialização destes produtos principalmente por ser considerado crime em todo o território nacional.


Resumo

     Ultimamente muito se fala sobre os produtos proibidos pela Anvisa, por um lado a mídia sensacionalista distribuindo informações sobre possíveis efeitos colaterais como sendo verdade absoluta dizendo que o consumo destes suplementos é altamente tóxico e danoso a saúde podendo causar até a morte. Por outro lado, um público cada vez maior de pessoas  buscam estes produtos por pensar que “se é proíbido é porque funciona” com relatos de amigos que obtiveram bons resultados principalmente em termos de redução do indicie de gordura corporal. Porém a principal questão é, vale a pena correr o risco de desenvolver sequelas definitivas para incrementar sua estética ou rendimento atlético? E quais são seus possíveis benefícios ou efeitos colaterais danosos a saúde?

     De acordo com alguns fabricantes, suplementos com 1,3 Dimetilamilamina auxiliam no aumento da atenção e redução da fadiga, aumentam a resistência, o consumo de oxigênio e o fluxo sanguíneo para o coração, iniciam a lipólise no tecido adiposo e o anabolismo no tecido muscular e relaxam os bronquíolos dos pulmões. Ainda de acordo com fabricantes, podendo ter como efeitos colaterais apenas dores de cabeça e náuseas, problema que pode ser contornado reduzindo dosagem.

     Mas se os benefícios são ótimos e os efeitos colaterais baixos, porque é proibido pela Anvisa e considerado dopping por comitês de jogos olímpicos?

     De acordo com especialistas,  todos estimulantes são proibidos pela legislação antidoping sendo classificados com pouco ou muito tóxicos que é o caso da efedrina. Já para a Anvisa todos os produtos que tem em sua fórmula o DMAA não pode ser comercializado no Brasil por dois grandes motivos. O primeiro é que alguns produtos são comercializado nos Estados Unidos como um suplemento dietético (dietarysupplements) e que o mesmo não está autorizado para comércio no Brasil como alimento, pois não se enquadra em nenhuma das categorias de alimentos existentes devido à sua composição e finalidade de uso, desta forma o comércio destes produtos não está autorizada no Brasil automaticamente. O segundo grande motivo é que a 1,3 Dimetilamilamina ainda não pode ser comercializada no Brasil por ainda não ter sido solicitado nenhum registro em nosso órgão regulamentador e mesmo assim, é necessária a comprovação da eficácia e segurança da substância por meio de estudos científicos.

     No final desta matéria, tire suas próprias conclusões se vale a pena ou não a utilização de produtos que funcionam a base de DMAA.


Quais são os suplementos proibidos?

     Resumidamente todos os produtos que possuem o DMAA (1,3 Dimetilamilamina) estão proíbidos assim como suplementos que tem em sua fórmula as substâncias arginina, alfacetoglutarato e a beta alanina. Os produtos “crussificados” pela mídia são o Jack3D, Oxy Elite Pro e Lipo-6 Black porém não podemos descartar alguns famosos companheiro de muitos atletas como o  No shotgun, Hemo-Rage, PWR, SSIN Juice, Nitric Blast, Code Red, Napalm, NeuroCore, MethylHex4,2, Spirodex, Lean EFX e o HydroxyStim.

Mas o que é o 1,3 Dimetilamilamina?

     O 1,3 metilamilamina  é um estimulante capaz de retardar a sensação de fadiga no sistema nervoso central, a substância que tem origem nas flores de gerânio vem causando frisson no universo dos suplementos.

     Presente em pré-treinos consagrados e, mais recentemente, em fórmulas emagrecedoras, faz sucesso entre os praticantes de atividades físicas no exterior, mas também integra a lista dos itens proibidos pela Agência Mundial Antidoping.

     Metil-hexaneamina ou metilhexanomina, Geranamina, DMAA, fortano, floradrene, geranamine, óleo de gerânio. Todos esses nomes se referem a uma mesma substância, a 1,3 metilamilamina.

     Extraída do óleo de uma das espécies das plantas que compoem a família do gerânio, a Pelargonium graveolens, tem despertado curiosidade e causando polêmica no universo dos suplementos alimentares.

     Vem sendo aclamada como um poderoso estimulante por algumas correntes de profissionais ligados à área de nutrição e atividades esportivas ao mesmo tempo que é taxada de perigosa por outros profissionais.

     O fato é que ainda não existem notícias de pesquisas científicas que tenham sido realizadas com 1,3Dimetilamilamina. Dessa maneira, há uma imensa dificuldade de se comprovar tanto os benefícios que vem sendo atribuídos à ação da substância no organismo quanto os possíveis riscos e prejuízos à saúde que seus supostos efeitos colaterais poderiam causar.

oxyelite pro e jack 3d

Benefícios e efeitos colaterias

     Logo acima mencionamos os benefícios e efeitos colaterais como sendo algo sugestivo pois não existe nenhum estudo ciêntifico que realmente comprove  tais efeitos, apenas estudos especulativos.

Benefícios:

- Auxilio no aumento da atenção e redução da fadiga;

- Aumentam a resistência, o consumo de oxigênio e o fluxo sanguíneo para o coração;

- Iniciam a lipólise no tecido adiposo proporcionando redução no percentual de gordura corporal;

- Anabolismo no tecido muscular (ganho de massa magra);

- Relaxa os bronquíolos dos pulmões (atua como vaso dilatador);

Efeitos colaterais:

- Dores de cabeça (efeito colateral reconhecido pela USPlabs, fabricante do Oxyelite);

- Náuseas (efeito colateral reconhecido pela USPlabs, fabricante do Oxyelite);

- Acidentes vasculares cerebrais;

-Grande potencial viciante;

Outros possíveis efeitos colaterais encontrados em matérias de grandes portais de notícias

- Insuficiência renal;

- Falência do fígado e alterações cardíacas o que pode levar a morte;

Nossa Opinião sobre o assunto

     Muitos criticam a ANVISA e uma das principais acusações é proibir suplementos que teoricamente melhoram o rendimento atlético mas liberam produtos como o cigarro e o álcool, substâncias mais que comprovados serem prejudiciais a saúde e danosas a sociedade. Bom, politicagem a parte, infelizmente este é a nossa última barreira contra produtos nocivos a nossa saúde e teoricamente asseguram a qualidade de produtos aprovados. Neste contexto é válido ser exigido pesquisas para sabermos melhor o que este produto que a curto prazo nos ajuda a tonificar os músculos e reduzir percentual de gordura porém que pode estar ou não relacionado a efeitos prejudiciais a saúde tanto a curto quanto a longo prazo. Em todo caso, sugerimos o consumo de suplementos autorizados pela Anvisa a serem comercializados em território nacional, mesmo assim fiquem atentos a sugestões de consumo evitando a utilização incorreta dos suplementos. 

     Um outro ponto que gostaríamos de abordar é que toda substância se consumida em excesso pode intoxicar o organismo podendo provocar diversos efeitos colaterais, é possível se prejudicar com excesso de vitamina C, excesso de carboidrato, excesso de água, em fim, procure ingerir nutrientes sem excessos e respeitando indicações de profissionais especializados.

Quais são alternativas existentes no mercado para estes produtos?

     Levando em consideração seus objetivos, a proposta tanto do OxyElite Pro quanto do Lipo 6 Black é de atuar como Termogênico tendo como características a queima de gordura, reduzir o apetite e dar mais energia explosiva durante os treinos. Algumas alternativas a estes suplementos são:

Yellow Hornet – Arnold Nutrition;
Lipo Cut X – Arnold Nutrition;
Thermo Fire HardCore – Arnold Nutrition;
Lipo 6 – 120caps – Nutrex;

     Já o Jack3d se propõe a permitir  treinos mais forte e por mais tempo,  aumento de força, explosão muscular e vasodilatação, permite uma recuperação mais rápida, aumenta o meio anabólico e a resposta ao treino, melhora o envio de nutrientes aos músculos, dentre outros benefícios. Algumas alternativas a este suplemento são:

Assault – Muscle Pharm;
Super Charge Xtreme – Labrada;
Monster Extreme Black – Probiótica;
Hemo Rage Black Ultra Concentrado – Nutrex;

HP Black No6 Age – 250g – Arctic Fruit Punch – NutriLatina Age.

Termogênicos você encontra na Biosuplementos

Pesquisa e relatos de Segurança

Em testes com ratos o *LD50 para a 1,3 Dimetilamilamina é de 39 mg / kg por via intravenosa e 185 mg / kg  por via intraperitonial de administração (Não para humanos).

     Alguns relatórios não publicados indicam doses extremamente elevadas de 1,3-Dimetilamilamina combinado com cafeína e álcool podem ser prejudiciais. Há relato de um homem de 21 anos de idade na Nova Zelândia que apresentou uma hemorragia cerebral após a ingestão de 556 mg de 1,3-Dimetilamilamina , cafeína e álcool. Porém, não se pode dar 100% de certeza pois o estado de hidratação do homem, alimentos ingeridos, uso de drogas ilícitas, e peso não foram relatados. Um porta-voz do fabricante disse: “DMAA é, de fato, um componente de gerânio ( Pelargonium graveolens ) junto a um derivado de petróleo que tem sido consumido como parte da dieta humana há mais de 100 anos “.

     No entanto, um estudo publicado em dezembro de 2011 por A. Lisi, Hasick N., Kazlauskas R. e C. Goebel contradiz a alegação pelos e relatórios de fabricantes sobre a 1,3-Dimetilamilamina ao confirmar que” óleos de gerânio não contêm 1,3-Dimetilamilamina ” e “produtos rotulados como contendo óleo de gerânio mas que contêm  1,3-Dimetilamilamina só pode surgir a partir da adição de um material sintético. “

     Um estudo relatado em setembro 2011 que a  ingestão aguda de 1,3-Dimethylamylamine (75 mg) por si só e em combinação com  cafeínaos resulta no aumento da tensão arterial sem um aumento na frequência cardíaca.

     Um estudo de 25 homens saudáveis que tomaram 1,3-Dimethylamylamine no pré-treino em suplemento desportivos conhecidos, não alteraram a frequência cardíaca em repouso, pressão sanguínea, ou afetou a função hepática e renal, quando usados em níveis de dosagem recomendados. De acordo com um adicional de quatro estudos, o DMAA não parece causar quaisquer efeitos negativos para a pressão sanguínea arterial, ritmo cardíaco, ou, quando tomado por indivíduos de teste, por um período curto.

     O Exército dos EUA emitiu um recall em massa de todos os produtos que contenham 1,3-Dimethylamylamine de todas as lojas militares em todo o mundo, depois de dois soldados sofreram ataques cardíacos fatais durante o treinamento em 2010. 1,3-Dimethylamylamine foi encontrado em seu sangue. “Estes produtos são substâncias legais e, por enquanto, nenhuma ligação entre DMAA e as condições médicas relatadas por militares prestadores de serviços médicos foi validado cientificamente por nós”, disse o porta-voz do Departamento de Defesa (DoD) Peter Graves. “o DoD determinou que os produtos fossem retirados das prateleiras como uma medida de precaução”.

     A morte de Squires Claire, uma corredora que caiu perto da linha de chegada da abril 2012  na Maratona de Londres , tem sido associada a DMAA. O legista afirmou que DMAA foi “provavelmente um fator importante” durante o inquérito. Acredita-se que ela consumiu a substância através de beber uma bebida energética, que foi em seguida ajustado para excluir DMAA.

*LD50: A  prática consiste em ingerir ou inalar forçadamente ou, exposta de alguma maneira certas quantidades de produtos por alguns dias até que metade (50%) de uma determinada quantia de animais morra. (O teste é realizado em 200 indivíduos ou mais).

Para quem quer aprofundar mais o assunto, continue lendo!

Por fim, compare opiniões do fabricante USPlabs, da Agência Mundial Antidoping (WADA) e da ANVISA:

     De acordo com Chad Crosby, Diretor de Estratégia Corporativa e Desenvolvimento de Negócios Internacionais do laboratório norte-americano USPlabs, os primeiros relatos específicos a respeito da 1,3 Dimetilamilamina datam de 1942, mas que o uso em suplementos é mais recente. “Embora os óleos essenciais de espécies de gerânio serem usados por centenas ou mesmo milhares de anos em sistemas de medicina popular em todo o mundo, a 1,3 Dimetilamilamina é utilizada especificamente
como suplemento alimentar com segurança e eficácia há aproximadamente seis anos”.

     De acordo com Crosby a 1,3 Dimetilamilamina é conhecida como uma simpatomimética. “Isto significa que imita ou copia as ações dos próprios hormônios do sistema simpático nervoso”. “Todas as aminas simpatomiméticas operam em um determinado setor do sistema nervoso simpático, conhecido como adrenérgico ou adrenoreceptor. Quando as células do corpo que possuem esses receptores são ativadas, as fibras nervosas liberam norepinefrina, fazendo com que o impulso nervoso passe. Substâncias adrenérgicas, tais como a 1,3 Dimetilamilamina, podem ativar o tecido-alvo diretamente ou indiretamente, aumentando a quantidade de norepinefrina que é liberada”,aponta. “Em termos mais básicos, isso significa mais sangue e oxigênio para os órgãos e músculos que mais precisam, quando eles mais precisam”.

     É desse mecanismo de ação, que supõe ao cérebro uma situação na qual é preciso estar mais atento e menos cansado, que os suplementos com a substância se apóiam. “O sistema nervoso simpático controla a resposta de fuga ou luta, assim, compostos com 1,3 Dimetilamilamina auxiliam no aumento da atenção e redução da fadiga, aumentam a resistência, o consumo de oxigênio e o fluxo sanguíneo para o coração, iniciam a lipólise no tecido adiposo e o anabolismo no tecido muscular, relaxam os bronquíolos dos pulmões e assim por diante”, diz Crosby, que cita ainda como outra substância simpatomimética a cafeína. Crosby reconhece que em contra partida a substância pode provocar dores de cabeça e náusea para alguns indivíduos. Porém esses efeitos são dose-dependentes e podem ser em grande parte resolvidos, seguindo os protocolos de uso adequado”.

Mas se proporciona tantos benefícios e promove baixos efeitos colaterais, porque é considerado Doping pala Agência Mundial Antidoping (WADA) ?

     Referência nacional no tema doping, Eduardo Henrique De Rose, representando a Agência Mundial Antidoping (WADA),  aponta a dose como referencial para os problemas que possam ser causados.
“Evidentemente a resposta depende da dose utilizada, mas o uso de estimulantes de uma forma geral acelera o pulso, aumenta a pressão arterial e pode, em dias muito quentes, causar uma síncope (desmaio) no atleta”.

     O médico também  explica que a substância é listada como proibida pelo item 6.b da relação publicada pelo Ministério dos Esportes no mês de dezembro de 2010. Esta relação de substâncias e métodos é válida de 1 de janeiro a 31 de dezembro de 2011. “Neste item estão listados os estimulantes não especificados e ela consta com o nome de metilhexanomina, mas todos os outros nomes se relacionam à mesma substância”.

     De Rose explica que todos estimulantes são proibidos pela legislação antidoping. “Existe apenas uma graduação entre os mais prejudiciais à saúde, como é o caso da anfetamina, e os que habitualmente estão presentes em diversas medicações e suplementos, como a metilhexanoamina”, esclarece. “A substância é qualitativa e não quantitativa. Basta a presença para caracterizar uma infração do Código Antidoping da Agência Mundial”.

     A punição para os atletas que são pegos desrespeitando a regulamentação pode variar de acordo com o número de ocorrências e reincidências.
“Para uma primeira infração a pena vai de uma advertência a dois anos de suspensão, segundo o grau de culpabilidade e negligência do atleta”.

Ok, mas e eu que não sou atleta olímpico, porque não posso consumir o 1,3 Dimetilamilamina de acordo com a ANVISA?

     De acordo com a  Agência Nacional de Vigilância Sanitária não foram encontrados registros de produtos com 1,3 Dimetilamilamina no banco de dados da agência nem sozinhos nem combinados a outra substância. O mesmo acontece com o JACK3D. “Para o produto ser registrado, a própria fabricante deve apresentar à ANVISA uma série de documentos que comprovem a segurança e eficácia do produto”.

     Ainda sobre o JACK3D, a agência informa que há uma série de motivos para a limitação. “Em relação ao produto com a marca JACK3D, esclarecemos que ele é comercializado nos Estados Unidos como um suplemento dietético (dietarysupplements) e que o mesmo não está autorizado para comércio no Brasil como alimento, pois não se enquadra em nenhuma das categorias de alimentos existentes devido à sua composição e finalidade de uso”, declara. “O produto é diferente porque não se enquadra em nenhuma categoria de alimento existente neste país, portanto sua venda não está autorizada, automaticamente”.

     Além disso, o JACK3D tem outros componentes que não são permitidos em território nacional para uso em suplementos como: arginina, alfacetoglutarato e a beta alanina.
Para que houvesse a liberação seria necessário o pedido do fabricante e o enquadramento da fórmula e rotulagem aos padrões da legislação nacional. A ANVISA lembra ainda que comercialização desses produtos em território nacional configura infração sanitária e está sujeita a sanções penais.
Apesar de ser de conhecimento do mercado que o Brasil possui uma legislação extremamente rígida em relação à regulamentação dos suplementos alimentares – reconhecidos pela ANVISA apenas como alimentos para atletas – a 1,3 Dimetilamilamina ainda não pode ser comercializada no Brasil porque ainda não foi solicitado nenhum registro em nosso órgão regulamentador. Mesmo assim, sabemos que é necessária a comprovação da eficácia e segurança da substância por meio de estudos científicos. O representante da USPlabs afirma que foram encomendados vários estudos das principais universidades para realização de ensaios clínicos, que estão atualmente em processo de ser publicados.

Fontes: REVISTA SUPLEMENTAÇÃO – ANO 04 – EDIÇÃO 15  http://www.revistasuplementacao.com.br/

http://en.wikipedia.org/wiki/Methylhexanamine

Whey protein você encontra na Biosuplementos


Logo Biosuplementos
Redação Biosuplementos
Este texto foi elaborado através de pesquisas feitas pela Equipe Biosuplementos.
Outros artigos escritos por Biosuplementos

Fanpage Biosuplementos

Use Facebook to Comment on this Post



17 respostas para “Suplementos proibidos pela Anvisa”

  1. Lucca disse:

    Apenas suplementos que contém esta substancia que são proibidos no Brasil?

    • Biosuplementos disse:

      Boa tarde Luccas,

      Esta é uma lista de suplementos proibidos por este motivo, porém existem outros que acabam sendo proibidos por motivos adversos como o caso dos precursores de hormônios. Em Breve falaremos sobre este assunto.

  2. Leandro disse:

    Comprei o Arnold 3.D e queria que me tirassem uma dúvida por favor, esse pré-treino ele pode fazer algum mal como aceleração do coração por causa da cafeína tendo em vista que fala no pote consumir tabletes,irei tomar apenas 1 meia hora antes do treino isso pode deixar-me com palpitações,ou tontura?…Por favor esclareça essa dúvida,fico muito grato..Abraços…

    • Biosuplementos disse:

      Bom dia Leandro,

      O Arnold 3.D realmente contem uma grande quantidade de cafeína por capsula. No entanto esta reação será relacionado com o seu fator de reação biológica ao componente. O que quero dizer é que dependendo do seu biotipo sim, você pode ter enjoos, tontura e até mesmo aceleração cardíaca. O que aconselho é sempre ingerir suplementos termogêncios com orientação profissional, ou caso sinta algum sintoma desconfortante suspenda o uso.
      Uma outra observação neste caso, é que você pode buscar por suplementos com menor teor de cafeína ou outros substratos por capsula ou tablete, e consumi-lo distribuído pelo dia. Neste caso você pode potencializar os efeitos de um termogênico mais “fraco” pois um dos principais fatores ligado ao emagrecimento será a aceleração do seu metabolismo, ou seja, o seu corpo passará a consumir mais calorias no seu dia-a-dia o que acelera a queima de gorduras. Nunca esqueça de boas práticas esportiva aliado a uma alimentação balanceada.

      Abraço Leandro e Boa sorte com sua meta!

  3. Andre disse:

    Gostaria de saber o que pode me dizer sobre o Hydroxystim. Além disso se ele enquadra nos produtos proibidos pela Anvisa.

    • Biosuplementos disse:

      Apesar de ser um suplemento considerado eficiente, ele pode sim ocasionar alguns destes efeitos colaterais mencionados acima além de ser crime ser comercializado em todo o território nacional. Desconheço se existe uma versão dele permitido pela Anvisa, diferente do Oxyelite que lançou recentemente uma versão para o mercado brasileiro sem o DMAA.

      Abraço!

  4. Fernanda disse:

    Prezado!

    Gostaria de saber se o suplemento TP 120 é aprovado pela ANISA, pois não encontro informações sobre ele na internet.

    Att. Fernanda

  5. Barbara disse:

    O lipo 3d normal também é proibido?

  6. Barbara disse:

    E o lipo6 normal?

    • Biosuplementos disse:

      Tanto o Lipo 6 quanto o Lipo 3D são permitidos. A Nutrex desenvolve algumas formulas proibidas como o caso do Lipo 6 Black, no entanto você encontra no mercado uma versão permitida.

  7. Samy disse:

    Oi, o termogenico thermoctril é permitido ou proibido pela ANVISA?

  8. Daniel disse:

    Estou usando o pré-treino NITRAFLEX da GAT, não tem mais o DMAA na formula, mas tem outros estimulantes legalizados pela WADA, além de uma subtancia derivada do cálcio que estimula a produção endógena de testosterona, será que posso tomá-lo sem medo de ser pego no doping atlético?

    • Biosuplementos disse:

      Boa tarde Daniel,
      Para este caso aconselho a buscar orientação de um nutricionista esportivo ou um endocrinologista. Se ele for um pré-hormonal ele pode acusar sim, pois pode ser que você fique com uma taxa acima da permitida de testosterona no organismo.

      Abraço! E procure um profissional pessoalmente!

  9. Thaís disse:

    Boa tarde,
    Gostaria de saber se a L carnitina é permitida pela anvisa.
    Obrigada.

    • Biosuplementos disse:

      Boa tarde Thaís,
      No Brasil a L-Carnitina é proibida de ser comercializado como Suplemento Alimentar. No Brasil por enquanto só é possível adquirir legalmente com prescrição médica em farmácias de manipulação.

      Abraço!

Deixe uma resposta